O que as Crianças nos Ensinam

 

1 – Apreciar os pequenos detalhes

 

As crianças não se importam com dinheiro ou reconhecimento social, elas colocam toda sua paixão no que fazem, elas apreciam os pequenos detalhes. 

Na verdade, a principal diferença entre crianças e adultos é que na infância gostamos de fazer tudo a que nos dedicamos, enquanto, como adultos, nos concentramos exclusivamente nos resultados, perdendo o melhor da jornada, mas é  nos menores detalhes que a felicidade se esconde.

 

2. Coragem de experimentar coisas novas

As crianças não tem medo do fracasso. Não se perguntam se vão se machucar descendo pelo escorregador, apenas descem e gostam. 

às vezes devemos deixar ir, deixar de lado o medo de cometer erros e tentar coisas novas.

 

3.  Procurar sempre a diversão

O tédio é irritante. As crianças sabem disso e por isso fazem questão de se divertir o tempo todo, aproveitando cada segundo. 

No entanto, por várias razões, à medida que crescemos perdemos o interesse por muitas coisas e para nos entreter precisamos de aparelhos cada vez mais sofisticados. 

A chave é entender que diversão não é algo que vem de fora, é uma atitude que vem da gente mesmo..

 

4. Despertar a curiosidade

As crianças olham a vida com curiosidade, e quando fazem isso, é como se uma porta se abrisse para um mundo paralelo, que lhes permite gerar novas ideias e promover a criatividade.

O mundo está cheio de coisas incríveis, coisas que não sabemos, mas por alguma razão não nos importamos mais em descobrir, quando crescemos.

 

5. Expressar seus sentimentos

As crianças não têm filtros para expressar as suas emoções, se estiverem tristes choram, se amam alguém falam com clareza. Porém, à medida que crescemos começamos a ter vergonha de nossos sentimentos e procuramos escondê-los, manifestando-os apenas em situações que consideramos adequadas. Assim, perdemos a capacidade de nos conectar emocionalmente com as pessoas ao nosso redor e, sem perceber, negamos a nós mesmos a possibilidade de sentir emoções. 

 

6. As crianças são livres de preconceitos

As crianças são mais abertas às experiências do que os adultos, porque suas mentes não estão cheias de preconceitos. Dessa forma, elas podem viver mais plenamente a cada dia. Infelizmente, com o passar dos anos os preconceitos se tornam uma barreira invisível que nos impede de nos relacionarmos com outras pessoas e limita nossa visão de mundo. 

 

7. Aproveitar cada momento

Quando uma criança monta um quebra-cabeça ou quando toma um sorvete, não há mais nada para ela no universo, ela gosta do que faz como se fosse a primeira e a última coisa que faria em sua vida. As crianças têm uma capacidade extraordinária de se desconectar do mundo e viver no presente. No entanto, à medida que crescemos, o passado e o futuro nos prendem, impedindo-nos de desfrutar o aqui e agora, que é o segredo da felicidade.

 

8. Ela corre atrás do que quer

Quando uma criança insiste em algo, é difícil convencê-la do contrário. A criança que quer algo, luta por isso, tenta outras estratégias e vê, se não derem certo, não desiste, tenta outro caminho. No entanto, à medida que envelhecemos, o bom senso começa a nos dizer que é melhor deixar para lá. Mas o curioso é que não é o bom senso que nos faz abandonar o desafio, mas sim os nossos medos e inseguranças. 

9. Ama incondicionalmente

As crianças não condicionam o seu amor, amam incondicionalmente, aceitando o outro como ele é, sem tentar mudá-lo. Porém, ao nos  tornarmos adultos, passamos a sujeitar o amor a uma série de condições, inclusive econômicas. Mas o amor verdadeiro não é o que estabelece as condições, é o que aceita a pessoa como ela é, seus pontos fortes e fracos. 

 

10. As crianças sonham alto

Nada impede as crianças de sonhar. Por isso sempre sonham alto. No entanto, ao longo da nossa vida as adversidades  nos trazem de volta à realidade, assim os nossos sonhos vão por água abaixo e nos resignamos a uma vida que não nos satisfaz. Mas sonhos e esperanças são a força motriz mais poderosa que temos, eles motivam nosso comportamento e nos dão a energia necessária para continuar a jornada. 

 

O filósofo francês Rousseau disse: “As crianças têm seus próprios modos de ver, pensar e sentir, nada é mais tolo do que querer substituí-los pelos nossos”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *